Ballagro
Ballagro
Os nematoides na cultura do milho

Os nematoides na cultura do milho

Postado em Informativos dia 07/Fevereiro | 128 visualizações

Texto escrito por: Victor Seabra

Um problema muitas vezes silencioso, sem sintomas precisos, e que tem afetado seriamente a produção de muitas lavouras de milho no Brasil.

Os nematoides fazem parte da fauna do solo e interagem diretamente em ecossistemas, como herbívoros em plantas e indiretamente como consumidores da microflora, regulando assim a microflora e a liberação dos nutrientes para as plantas (COLEMAN et al., 1984).  

Na cultura do milho, mais de 40 espécies de 12 gêneros de nematoides têm sido citadas como parasitas de raízes em todas as áreas do mundo onde esse cereal é cultivado. No Brasil, as espécies mais importantes, devido à patogenicidade, à distribuição e à alta densidade populacional, são Pratylenchus brachyurus, Pratylenchus zeae, Helicotylenchus dihystera, Criconemella spp., Meloidogyne spp. e Xiphinema spp.

Os nematoides são vermes de tamanhos bastante variáveis e geralmente abundantes no solo e na água. Os parasitas de plantas medem de 0,3 a três milímetros, e o seu ciclo, em termos gerais, duram de 3 a 4 semanas, passando pelas fases de ovo, juvenil (J1 a J4) e adulto. Possuem o corpo em formato cilíndrico, geralmente alongado e com as extremidades afiladas.

Desde 1963, há registros de milharais nos quais aparecem reboleiras de plantas enfezadas, com folhas cloróticas e raízes apodrecidas. As injúrias causadas por nematoides variam com o gênero e a população do nematoide envolvido, com as condições do solo e a idade da planta de milho.

Os sistemas radiculares parasitados por nematoides são menos eficientes na absorção de água e nutrientes da solução do solo. Conseqüentemente, uma planta parasitada tem seu crescimento reduzido, apresenta sintomas de deficiências minerais e a produção é reduzida, além de provocar ferimentos que favorecem o desenvolvimento de doenças a partir da entrada de patógenos de solo, como o Fusarium spp. por exemplo.

As espécies mais comuns de fitonematoides presentes em solos cultivados com milho são: Pratylenchus zeaePbrachyurusHelicotylenchus dihystera e Meloidogyne incognita. Existem relatos de que as duas espécies de nematoides das lesões, Pzeae e Pbrachyurus, podem proporcionar perdas de até 50% na produtividade. A Sociedade Brasileira de Nematologia (SBN) revela que anualmente o agronegócio nacional contabiliza prejuízos de R$ 35 bilhões, provocados pelo parasita.




COMENTÁRIOS

Seja o primeiro a comentar sobre esse POST!





Crop Life Brasil ATENÇÃO: Siga rigorosamente as instruções contidas no rótulo, na bula e receita. Utilize sempre os equipamentos de proteção individual. Nunca permita a utilização do produto por menores de idade. Faça o Manejo Integrado de Pragas. Descarte corretamente as embalagens e restos de produtos. Uso exclusivamente agrícola.
CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO.
VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.